Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A Ordem Rosa Cruz !!

Olá hoje estou aqui para falar um pouco da Antiga e Mística Ordem Rosa Cruz!!
AMORC – Antiga e Mística Ordem Rosa Cruz
ordemrosacruz 3 blg2 Ordem Rosa CruzA Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis (AMORC) é uma organização fraternal de caráter rosacruz fundada em 1915 por Harvey Spencer Lewis, está formada por homens e mulheres que se dedicam à investigação, estudo e aplicação prática de ensinos esotéricos. Os membros da Ordem recebem o nome de estudantes e recebem monografías semanais para estudar em seu lar, preferencialmente as quintas-feiras.
Segundo a própria ordem rosacruz AMORC, o propósito da organização é a de proporcionar os meios para que todos vivam em harmonia com as forças cósmicas criativas e construtivas para que consigam obter a saúde, a felicidade e a paz.
A história da Ordem Rosacruz pode classificar-se em tradicional (ou mítica) e cronológica (ou propriamente histórica). Segundo as declarações de Harvey Spencer Lewis, a Ordem Rosacruz ter-se-ia fundado (segundo a tradição) no Egito pelo faraó Akenatón. Segundo AMORC o movimento místico, o que se convertesse depois em Rosacrucismo, teve suas raízes nas tradições das Antigas Escolas dos Mistérios, a filosofia e os mitos do antigo Egito, para o ano 1500 A.C., aproximadamente. Não obstante, a presença do rosacrucismo no antigo Egipto é um mito romântico incompatible com a realidade histórica.
Desde um ponto de vista imparcial e cronológico, fica claro que a tradição rosacruz começa no século XVII com os primeiros manifestos rosacruces da Europa, a Fama Fraternitatis e a Confessio Fraternitatis.
Segundo Spencer Lewis, em 1909 visitou a França em procura de vestígios do movimento rosacruz e pôde comunicar-se com uma velha linhagem da escola em Toulouse, França, que o iniciou nos mistérios da Ordem e lhe encomendou que re-fundasse a organização nos Estados Unidos.
Em 1915, seis anos depois que Max Heindel fundou a Fraternidade Rosacruz, Spencer Lewis iniciou o rosacrucismo egípcio na América, primeiro em Nova York, se transladando depois a Tampa e finalmente a San José (Califórnia), onde estabeleceu a sede mundial.
Segundo as declarações de Harvey Spencer Lewis, a Ordem Rosacruz funciona por ciclos de atividade de 108 anos, seguidos de um período inativo de igual duração. Segundo este cálculo tradicional, a Ordem Rosacruz AMORC deverá fechar suas atividades no ano 2017, tendo em conta 1909 como ano de fundação. No entanto, à medida que a data acerca-se, as autoridades de AMORC têm tentado subestimar o ciclo, afirmando que na atualidade não há mais necessidade de trabalhar com ditos períodos de silêncio.
Em certas teses relativas à história rosacruz, cita-se a uma personagem cujo nome é “Christian Rosenkreutz” (1378-1484) e que se mostra como fundador da Ordem da Rosa-Cruz. Segundo AMORC, este dado não é exato pois a Ordem teria sido fundada muito dantes mas funcionava por ciclos de atividade de 108 anos, seguidos de um período inativo de igual duração. Segundo esta postura (que não está sustentada pelas outras organizações rosacruces da atualidade), quando chegava o momento de proceder a seu resurgimento, se tomavam as disposições necessárias para anunciar a abertura de uma “tumba” na que se encontrava o “corpo” de um “Grande Maestro C.R.C.” com jóias raras e manuscritos que habilitavam aos autores da descoberta a proceder a sua acordar para um novo ciclo de atividade. Este anúncio era alegórico e as inicia-lhes “C.R.C.” não designavam a uma pessoa que existisse realmente. No século XVII, a Ordem atingiu sua mais alta reputação a partir da publicação e da ampla difusão de três Manifestos impressos na Alemanha e atribuídos a Johann Valentinus Andreae (1586-1654): a “Confessio Fraternitatis”, “A Fama Fraternitatis” e de “Os Casamentos Químicos de Christian Rosenkreutz”, que datam respectivamente de 1614, 1615 e 1616. Segundo a Ordem AMORC, estes três Manifiestos nos que se misturam os textos históricos e alegóricos, teriam sido redigidos por um Colégio de Rosacruces marcando o começo de um novo ciclo de atividade da Ordem, quem a partir desse momento, se deu a conhecer publicamente baixo o nome de Ordem da Rosa-Cruz”.
Em 1693, baixo a direção do Grande Mestre Johannes Kelpius (1673-1708), rosacruces de todos os países da Europa embarcaram para o Novo Mundo a bordo do “Sarah María”. A princípios de 1694, desembarcaram em Filadelfia onde se estabeleceram. Alguns anos mais tarde, alguns se deslocaram para o Oeste de Pensilvania e fundaram uma nova colônia. Após ter criado sua própria imprensa, editaram um grande número de obras da literatura mística e introduziram na América os ensinos da Rosa-Cruz. Baixo o impulso destes rosacruces europeus nasceram também numerosas instituições americanas e o mundo das artes e das ciências conheceu um progresso sem precedentes nos Estados Unidos. Personagens eminentes como Benjamín Franklin (1706-1790) e Thomas Jefferson (1743-1826) teriam estado em estreito contacto com a obra rosacruz deste país.
Segundo Reuben Swinburne Clymer, a ordem sucessora destes grupos rosacruces na América é a Rosicrucian Fraternity in America e não a Ordem AMORC, e documentou este fato em um volumoso livro titulado Rosicrucian Fraternity in America.
A principal figura da Ordem Rosacruz AMORC é o Imperador, que é quem guia os destinos da organização. O primeiro Imperador do novo ciclo foi Harvey Spencer Lewis, a quem sucedeu-lhe no cargo seu filho, Ralph Maxwell Lewis. Posteriormente, Lewis nomeou a Gary Stewart como Imperador, mas em circunstâncias pouco claras foi destituído em 1991 e nomeou em seu lugar o francês Christian Bernard, atual líder do grupo.
Gary Stewart continuou com seu labor rosacruz fora da AMORC, fundando a Confraternidade da Rosa cruz (Confraternity of the Rose Cross) que afirma que a natureza da moderna Ordem AMORC tem traído o legado de Harvey Spencer Lewis.
Outro agrupamento que surgiu como consequência deste cisma é a Ancient Rosae Crucis, com sede em Texas, Estados Unidos.
Ainda que o rosacrucismo tenha sido vinculado tradicionalmente a Europa e às correntes de esoterismo ocidental, a AMORC reclama uma vinculacão com os Mestres do Tibet. Neste sentido relaciona ao Mestre teosófico Kout-Houmi Lal Singh com a Ordem e revela que é o Hierofante da Rosacruz, contrariamente às outras organizações rosacruces que assinalam ao Príncipe Racokzy (Conde de Saint Germain).
Para avaliar esta relação com o Tibet, Harvey Spencer Lewis apresentou um livreto titulado “Em vós confio” (Unto Thee I Grant) comentado por Sri Ramatherio, que contém uma série de lições morais. Não obstante, os orientalistas têm assinalado que este livro não é autêntico e que o conteúdo do mesmo concorda mais com a cultura ocidental de princípios do século XX do que com os monges tibetanos anteriores ao século XVIII. Seja como seja, é interessante a influência deste livro em alguns grupos islâmicos de afro-americanos (Moorish Science Tempere) em meados dos anos 20.
Um dos documentos rosacruces mais conhecidos é a Carta Constitutiva da Logia Branca, apresentada em 1920 por Harvey Spencer Lewis e que tem sido criticada por Robert Vanloo, assinalando que a carta está escrita em inglês e possui vários símbolos hebreus, mas “nenhum símbolo ou letra tibetano”.
By:Matheus Oliveira.
Fonte: tilesexperts

17 comentários:

  1. Vc pertence a rosa Cruz????

    ResponderExcluir
  2. Olá anônimo.Eu não pertenço a rosa cruz.

    ResponderExcluir
  3. Dá uma olhada nesse blog: as avaliações a respeito da AMORC são muito mais venenosas: http://guiadocetico.blogspot.com/
    Pedro Wittelsbach

    ResponderExcluir
  4. Bem conhece um conteudo legal.

    ResponderExcluir
  5. A AMORC é a que possui a iniciação clássica. As outras são mais new age. Não sou membro, mas quando fui conhecer uma loja fui muito bem recebido. Não são fanáticos, extremados, esquisitos nem crédulos. Não é uma seita. Só encontrei pessoas normais, inteligentes, muito agradáveis, como as que se pode encontrar em uma livraria, restaurante ou universidade. Chamou a atenção o fato de, em nenhum momento, conversarem sobre coisas estranhas, sobrenaturais ou espíritas. Na secretaria, me deram um livreto com as explicações sobre o que ela é e os benefícios que se pode ter afiliando. Quanto aos blogs dos "céticos", não gosto de nada. Esse aqui é mais ameno e tem coisas imparciais. Na minha opinião, os "céticos" são iguais aos "crentes". Ambos são radicais, cada um à sua maneira. São pontas da mesma corda. Para quem tem interesse, acho que vale a pena conhecer. Causou boa impressão.

    ResponderExcluir
  6. Sou rosa-cruz e garanto que as atividades realizadas nas lojas são nobres, pensamos sempre no coletivo e no bem comum. As lições nos dadas são para crescimento pessoal, desenvolvimento da nossa inteligencia emocional e autoconhecimento. "Conhece te a ti mesmo e conhecerá os Deuses e o Universo". Paz Profunda!

    ResponderExcluir
  7. O amigo estudou bem para fazer a matéria, bom trabalho. Sou rosacruz e garanto que as atividades da Amorc visam o aperfeiçoamento da humanidade e desenvolvimento do potencial interior para alcançar saúde felicidade e paz. Conhecer a si mesmo. Poucas instituições se preocupam deixar claro ao estudante a certeza de que o bem sempre prevalece, a Paz e o Amor Universal, e a Amorc é uma. Quem deseja se conhecer pode buscar que ela estará de braços abertos a todos sem distinção.
    Paz Profunda!

    ResponderExcluir
  8. Pq os estudos sao as quintas feiras. Qual e o.mqisterio nisso. Nao li nada de.mais q me fizesse desitir de conhecer e qm sabe ate ser um membro. Quais sao as diferncas dos rosascruzes. Ou e tudo a mesma coisa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não me recordo agora o motivo exato para ser as "quintas" os estudos, mas na verdade é apensar uma sugestão, na ordem é "tudo proposto, nada imposto", a afiliação depende da sua vontade dar continuidade, portanto se sente interesse, experimente, se não gostar, basta se afastar...

      Paz Profunda!

      Excluir
  9. O Faraó Tutmés III, reunia seus estudantes dos "Sagrados Mistérios", nas noites de quintas-feiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas tutmes era Rosacruz? Quem inventou isso? A amorc e claro.

      Excluir
  10. Sou estudante Rosacruz. Em geral nestes assuntos esotéricos existem muitas contradições e afirmações infundadas. A Ordem prima pela divulgação de conhecimentos milenares e pelo desenvolvimento interior de poderes que todos tem mas desconhecem, o acesso que por muitos e muitos anos nos foi negado e escondido pelas religiões fundamentalistas. Este conhecimento do domínio sobre si mesmo e da sua vida está à disposição de todo buscador sincero na Antiga e Mística Ordem Rosacruz.

    Paz Profunda.

    ResponderExcluir
  11. Saudações ! São bastante interessantes suas postagens, mas há erros e equívocos, eles podem levar o leitor a enganos ou falsas informações. Fica aqui minha sugestão que você pesquise mais sobre o assunto. Sinceramente. Louis FRC

    ResponderExcluir
  12. A mais new age e a amorc. Um Grande negocio . Pouco esoterismo, e muita mentira.

    ResponderExcluir
  13. A amorc e uma Grande falacia. Mentiras repetidas tornam- se verdade.

    ResponderExcluir
  14. Acho o espaço muito bom para expor ideias, mas nāo para acusar uma Ordem séria de falaciosa. Sugiro que se informe um pouco mais sobre o tema.
    J.J.O

    ResponderExcluir